Terça-feira, 30 de Setembro de 2008

Os Sons

  Um dos sons que mais admirei foi dos papagaios. O papagaio existente na "minha" floresta era o papagaio-cinza.

  No aquartelamento tive dois papagaios, um já animal feito, privado da sua liberdade já em fase adulta era de difícil trato (e com razão), o outro era ainda muito pequeno quando o tive. Infelizmente ambos morreram de uma doença para a qual não tínhamos antídotos para a debelar lá longe onde o sol castiga mais.

  O mais pequeno, o "Abutre", esse "marcou-me", como era bom chegar de uma patrulha e coçar-lhe o "piolho". Ei-lo aqui e as palavras que ele nunca escreveu.


  Apresento-me, sou o “abutre”. Fui um papagaio já que a morte veio e me levou bem nova para o reino dos papagaios. Era desejo do meu dono ser-lhe oferecida (embora o nome seja masculino eu sou feminina). Não foi possível nem ele assistiu à minha agonia. Talvez tivesse morrido de saudades, não sei! Só sei que três palmos de terra repousam sobre o meu corpo. Lágrimas do meu dono caíram sobre a terra, é como se me tivessem tocado. Sei que ele nunca me esquecerá. Dei-lhe alegria nos seus momentos de tristeza... Eu sou, fui, o “abutre”...

  Cabinda73

  O "abutre"!... pequeno pássaro que me acompanhou durante o tempo que a vida lhe durou. O porquê de “Abutre”? Foi uma questão de olhar para o pescoço vazio de penas. Deu-me a ideia de um abutre e abutre ficou.

  Nunca mais tive aves ou mamíferos em cativeiro.

Com a devida vénia.




Revoltam-se as palavras, já cansadas
da aferição com o pensamento,
que, julgando trazê-las controladas,
descansa no seu convencimento.

Esquece as palavras ditas sem pensar
e as ideias difíceis de expressar.
Uma diferença resolveria tudo
- nascer-se papagaio ou pato-mudo.

in blog «Ideias em desalinho»




Ele nasceu papagaio!

publicado por marius70 às 02:46
link do post | comentar | favorito
4 comentários:
De Manuel Amaral a 23 de Fevereiro de 2010 às 20:35
Meu caro amigo.Já passei várias vezes por este sitio e até já "sequei" uma fotos.Algumas até já eu tinha.Mas sabe bem repetir certas coisas.Sabe?Eu vivi em Nova Lisboa,no Bairro de S.João.Fui para lá em 1963.Depois de passar á "peluda".Sim.Antes da Peluda foi Úcua,Nambuangongo,Beira Baixa,QAuicabo etc.Por isso passei por cá algumas vezes.Mas hoje parei.Parei para lhe agradecer por me permitir vêr algumas paisagens de passagem.Eu so de 60 e fui para lá em 61 e por lá fiquei.Depois'Bem,depois foi o Brasil em 74 e a cidade do Porto.E acabou.Obrigado e um abraço.


De Manuel Amaral a 23 de Fevereiro de 2010 às 20:38
Fui instrutor de condução em Nova Lisboa.


De Manuel Amaral a 23 de Fevereiro de 2010 às 20:44
Encheu-me de ciumes ao dizer que se apaixonou por Nova Lisboa.Eu percorri aquelas ruas todos os dias das 6 da manhã ás 8 da noite.E não sabia que não era só eu que amava aquela terra.De qualquer modo,um abraço amigo.


De Manuel Amaral a 23 de Fevereiro de 2010 às 20:47
Tenho que sair daqui.De resto,não seria a primeira vez que chorava.De raiva?Talvez.Tambem sim.Mas não só.As saudades são muitas.Vou embora daqui.


Comentar post

.mais sobre mim

.pesquisar

 

.Fevereiro 2018

Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2
3

4
5
6
7
8
9
10

11
12
13
14
15
16
17

18
19
20
21
22
23
24

25
26
27
28


.posts recentes

. Furriel Lima

. A Fossa

. Tchinguinguili

. Noite de Luz - Natal 73

. Nada Mudou

.arquivos

. Fevereiro 2018

. Janeiro 2018

. Dezembro 2017

. Junho 2017

. Maio 2017

. Março 2017

. Junho 2016

. Novembro 2011

. Fevereiro 2011

. Setembro 2009

. Setembro 2008

.tags

. todas as tags

SAPO Blogs

.subscrever feeds